fbpx

Plain Language: a escrita direto ao ponto

Quantas vezes você já leu um enunciado e não entendeu bem o que estava escrito? Isso acontece porque não é muito simples colocar no papel, com clareza, aquilo que está tão cristalino na nossa mente. Em alguns setores, porém, escrever com pouca clareza chega a ser regra, como no campo do Direito. Quase sempre, são […]
Crédito: reprodução/internet

Quantas vezes você já leu um enunciado e não entendeu bem o que estava escrito? Isso acontece porque não é muito simples colocar no papel, com clareza, aquilo que está tão cristalino na nossa mente.

Em alguns setores, porém, escrever com pouca clareza chega a ser regra, como no campo do Direito. Quase sempre, são textos compreensíveis apenas por advogados, pois são recheados de jargão legal, de sinônimos pouco conhecidos, de ‘explicações’. Só que para o leitor leigo, que pode ser o próprio cliente, essa linguagem beira o incompreensível. Veja o vídeo abaixo:


O mesmo tipo de problema ocorre em boa parte de textos que governam a vida do cidadão comum, que precisa entender as regras do jogo para declarar seu imposto de renda, para assinar um contrato de trabalho, ou de compra da casa própria, de serviços bancários, de planos de saúde, de telefonia, de tanta coisa! Qualquer falta de entendimento pode lhe custar muito caro.

Mas afinal o que é Plain Language?

Foi para minimizar esses efeitos negativos, que já nos anos 40, brotou na Inglaterra, o desejo de uma escrita simples e clara para que o leitor compreendesse na primeira leitura. De lá para cá, a Plain Language, ou Linguagem Simples evoluiu, se espalhou, e vem ganhando força pelo mundo todo.

Em outubro de 2010, o então presidente Barack Obama assinou o Plain Writing Act, a lei da escrita simples: “(…) clara, concisa, bem organizada, seguindo as melhores práticas para o assunto, para a área e para o público-alvo”. Ela menciona o público-alvo porque entende que uma linguagem pode ser clara para um conjunto de leitores, mas não para outro.

Linguagem clara como um direito de todos

A lei da escrita simples reconhece que a linguagem clara é um direito civil; assim, foi aplicada a todos os documentos e informações presentes nos sistemas do governo dos EUA. Ela considera que um material está escrito em linguagem simples se o público conseguir:

  • Encontrar o que precisa
  • Entender o que encontra
  • Usar o que encontra para atender às suas necessidades

Para atingir este objetivo, há algumas técnicas:

  • Frases curtas
  • Palavras curtas
  • Palavras comuns
  • Voz ativa
  • Organização lógica, levando em conta como o leitor vai entender o que lê
  • Emprego de pronomes: ele, ela, você, …
  • Recursos de Design fáceis de ler

 

Linguagem simples, em bom português

No Brasil, a jornalista e pesquisadora Heloisa Fischer lançou Clareza em textos de e-gov, uma questão de cidadania, título de sua tese de pós-graduação em Cultura do Consumo defendida na PUC-Rio, em dezembro de 2017. É o primeiro livro em português que aborda o tema do movimento Plain Language para “facilitar a compreensão de textos que orientam cidadãos brasileiros em ambientes de governo eletrônico”.

Em 2011, uma lei brasileira impôs maior clareza à indústria farmacêutica no texto das bulas de remédio, que até então ignorava quem mais precisava entender: o paciente. Elas passaram a ser escritas em português corrente, ao alcance de qualquer consumidor, com explicações em forma de pergunta e resposta.  

Em condomínios de São Paulo, a linguagem simples tem feito a diferença. Quem sabe pode se aplicar também ao seu negócio.

Muito além da clareza por obrigação, empresas privadas vêm sentindo necessidade de adotar uma linguagem mais acessível em seus comunicados para conquistar consumidores, para melhorar a comunicação interna e externa, para ser mais lucrativa.

Sua empresa já despertou para a tendência mundial da escrita direto ao ponto?

 

Se sim, convido você a conhecer o meu mais novo curso, “Comunicação Escrita: Ferramenta de Sucesso“, que possui descontos especiais para empresas com 15 ou mais alunos. Faça uma aula gratuita.

Blog da Escrita

Machado de Assis era negro!

Os movimentos antirracistas me inspiraram a render honrarias a um menino pobre e preto, nascido em 21 de junho 1839, em um morro do Rio de Janeiro. Esse filho de pai negro e mãe branca é – quem diria! –  Machado de Assis, fundador da Academia Brasileira de Letras. Mas em sociedades racistas, figuras de […]

Leia Mais

Língua é poder: conheça linguagens sem palavras

É por meio da linguagem que nós influenciamos e somos influenciados! O tempo todo, criamos símbolos para comunicarmos o que desejamos, pensamos e sentimos. Linguagem é tudo isso – a maneira como nos expressamos.   E o mundo tem um oceano de linguagens, como a fala e a escrita. Mas, além desses 2 aspectos, elas […]

Leia Mais

Conheça meu curso EAD : “Comunicação escrita: ferramenta de sucesso”

Como muitos já sabem, em maio vou lançar o meu curso EAD sobre como escrever no mundo profissional. Ele tem o objetivo de ajudar você a progredir em sua carreira e em sua vida pessoal por meio de aulas rápidas, práticas e relevantes. Cursos à distância têm se tornado cada vez mais comuns para quem […]

Leia Mais

Como costurar ideias: faça conexões sequenciais

No artigo anterior, expliquei como podemos costurar ideias por referência. Nele, você aprendeu a substituir nomes por pronomes. Para dar continuidade à série de conexões, hoje vou ensinar a conexão sequencial. Para recordarmos… Sempre que você quiser retomar a ideia principal do seu comunicado, lembre-se de utilizar conectores. Eles facilitam – e muito! – a […]

Leia Mais

Como costurar ideias: conecte por referência

Você escreve, escreve e apaga. Novamente tenta porque viu que o texto ficou bagunçado. As ideias não estão se conectando; mas você não desiste porque seu chefe está cobrando, e colocar no papel é urgente. Tudo bem… muitas pessoas passam por essa situação. Por isso, resolvi escrever uma série de artigos sobre CONECTORES. No primeiro […]

Leia Mais

Como tirar o melhor proveito do imperativo?

Você se sente pisando em ovos na hora de dar uma ordem por escrito, especialmente para pessoas que ocupam um lugar superior ao seu, no trabalho ou na sociedade? A maioria dos brasileiros sim! É uma questão cultural.   Não gostamos de dar e nem de receber ordens, ainda mais se for por escrito. Muitas […]

Leia Mais

Como conectar ideias

Tudo o que você escreve é uma história. Uma história que você conta para uma, ou para muitas pessoas. Pode ser um comunicado, um relatório cheio de números, um processo judicial, ou a fábula dos 3 porquinhos. Para que as suas histórias sejam bem entendidas, tenha em mente que a escrita é uma sequência de […]

Leia Mais

Como saber se escrevo com clareza

Você já escreveu algum e-mail e, logo em seguida, alguém veio perguntar o que aquele ‘textão’ queria dizer? Ou já demoraram muito para te dar um retorno porque não entenderam absolutamente nada do que você escreveu? É comum a resposta ser SIM para uma dessas perguntas. Nesta era, em que e-mails e mensagens de textos […]

Leia Mais

Como transformar uma ideia em escrita

Quando você recebe um comunicado, vai logo procurando o recado que o autor quer passar, pois você precisa captar a mensagem dele e decidir o que fazer com ela; até deletar, se for o caso. Quanto mais fácil de ler, mais rápido você segue a vida. No post de hoje, vou explicar como construir a […]

Leia Mais